VOLTAR

Organização Financeira

Post organize finance

10 dicas para se organizar financeiramente e melhorar a sua pontuação

Ter o controle total de suas finanças é o princípio de uma organização mensal quanto a sua receita, gastos, economia e reserva de emergência. Em resumo, é quando um indivíduo controla corretamente seu dinheiro sem gastar mais do ganha e ainda guarda um certo valor na poupança ou fundos de investimentos.

A partir do momento em que uma pessoa perde o controle de sua situação financeira, ela acaba recorrendo a empréstimos ou cheque especial. Essa dívida embute juros altos e a chance do atraso no pagamento de uma parcela ou inadimplência derruba sua pontuação de crédito frente às instituições financeiras.

Para que isso não ocorra e para que você tenha uma organização financeira saudável, vamos acompanhar 10 excelentes dicas que também lhe ajudarão a melhorar essa pontuação de crédito.

1. Conheça sua situação financeira

O primeiro passo para ter uma organização financeira é conhecê-la por inteiro. Uma boa atitude é colocar sua renda mensal e todos os seus gastos em uma planilha. Assim, você descobrirá como está usando o dinheiro, inclusive o quanto gasta com supérfluos. Além de saber quanto consegue guardar.

Atualmente existem aplicativos para celulares que também oferecem esse tipo de acompanhamento. Eles são úteis para que nenhuma compra seja feita sem ser registrada.

2. Corte gastos desnecessários

A partir da compreensão de sua situação financeira é possível reorganizar essas finanças, abrindo mão de gastos desnecessários, ou até mesmo mudando o padrão de vida. Quando essa situação sai de nosso controle, recuperar as rédeas custará tempo e, claro, dinheiro.

Tenha uma escala de prioridades quanto aos gastos e evite o consumismo. É claro que uma regalia ou outra, principalmente em termos de lazer, costuma fazer parte da vida de qualquer indivíduo. Mas vale termos a ciência de que esse gasto se encontra dentro do orçamento daquele determinado mês.

3. Poupe uma quantia de sua receita

Por mais que seja difícil, é importantíssimo que parte da renda seja poupada dentro de cada mês. O ideal é que sobre de 10% a 20% do que entra em sua contabilidade. Essa quantia deverá ser destinada para situações emergenciais, como doenças e perda de emprego, por exemplo.

Também existem metas que podem ser traçadas pensando a longo prazo. Isso inclui o pagamento de uma escola ou faculdade para um filho. Ou até mesmo realizar o sonho de adquirir um imóvel ou veículo. Essa atitude gerará maior segurança dentro do seu planejamento financeiro.

4. Invista o que poupou

É de conhecimento geral que não adianta poupar e deixar o dinheiro parado. Ou seja, é necessário investir a quantia economizada em algum fundo que gere rendimentos.

Aos conservadores, indica-se optar por aplicações mais seguras e estáveis, como CDB e Tesouro Direto. Aos mais audaciosos, ou conhecedores do mercado financeiro, investir em ações pode ser uma boa alternativa.

5. Planeje suas finanças

Os itens apresentados até o momento fazem parte de um planejamento estratégico na sua organização financeira. Insira nesse processo um dia no final de semana para fazer uma espécie de fechamento, comum nos departamentos financeiros das empresas.

E ainda se programe para a semana seguinte, com a noção do que será necessário para equilibrar os gastos. Essa prática não ocupará muito tempo e se tornará mecânica com o passar dos dias. Faça o mesmo procedimento ao final de cada mês e a mesma programação de gastos visando ao mês subsequente.

6. Evite dívidas

Quando se fala em dívida, logo nos vem à mente grandes cifras. Mas não são apenas esses valores altos que devem nos preocupar. Pequenas compras que se acumulam no cartão de crédito, por exemplo, podem atrapalhar o orçamento para quem não dispõe de um controle nos gastos.

O mesmo pode ocorrer com a concentração de compras parceladas, seja no próprio cartão ou em carnês. Essas dívidas tendem a crescer mês a mês sem que possa ser percebida. A única maneira de fugir desse acúmulo e dos juros é comprar à vista. O que pode gerar até algum desconto.

Já para as dívidas e valores altos, a dica é negociar melhores condições de pagamento com a instituição financeira.

7. Fuja do crédito fácil

Os bancos adoram quando um cliente entra no cheque especial, pois seus juros são cobrados diariamente. Além de serem os mais altos do mercado. Por isso eles disponibilizam essa opção com facilidade e sem solicitar garantias.

Evite ainda pensar que o limite do cartão de crédito está lá para ser usado. Se possível, peça para ele ser diminuído. Tenha em mente que dinheiro fácil representa juros altos.

Em caso de necessidade, vale frisar que há outras formas de créditos no mercado com condições mais favoráveis ao cidadão. Entre eles está o empréstimo pessoal sem garantia, indicado para quem busca valores baixos e deseja saldar a dívida em poucas parcelas. Suas parcelas e datas de vencimentos tendem a ser mais flexíveis e podem ser negociadas.

Como o empréstimo pessoal com garantia conta com taxas de juros menores e é indicado para quem pretende iniciar projetos pessoais. Enquanto o crédito consignado, cujo pagamento das parcelas emprestadas são descontadas na folha de pagamento, possui taxas que chegam a ser três vezes menores que um empréstimo comum.

8. Inclua a família

Sua família deve estar presente em todo o procedimento que envolve uma organização financeira. Deixe claro para todos como funcionará o planejamento das finanças. Peça para que cada um exponha suas ideias.

Essa situação vai gerar uma engrenagem que funcionará sem falhas, em que cada um saberá o que pode gastar e com quanto pode contribuir na receita. E evitará qualquer tipo de mal-estar ou culpa caso as finanças saiam do controle.

9. Invista em educação financeira

As escolas brasileiras, infelizmente, não ensinam seus alunos sobre finanças pessoais. Seria muito importante que a criança recebesse uma educação financeira básica. Situações simples, como ensinar a comparar preços em supermercados, seriam de muita valia para toda vida.

Como adultos, podemos nos precaver com livros, cursos e vídeos. E, a partir daí, passarmos o conhecimento para os filhos.

10. Tenha disciplina

Colocar tudo em prática é uma tarefa que exige disciplina. Assim como quase tudo na vida, ter disciplina garantirá os resultados planejados. Encare as tentações do consumo e vença-as. Isso vai ser benéfico não só em um período determinado, mas para sempre. Tenha certeza de que seu bolso agradecerá.


  VOLTAR